Thursday, May 1, 2008

Metro ao contrário?

Esta prova do 1º de Maio, fez-me lembrar quase a 100% a prova da corrida do metro. Ou terá sido impressão minha?
a questão aqui, era que desta feita, a parte rápida era no ínicio da prova, reservando-se o "castigo" das subidas mais para a parte final.
Após um café no largo da igreja numa esplanada, em que o sol ia aquecendo o corpo, eis que era chegada a hora do aquecimento.
Por ali, encontrei o meu amigo Proença, e lá fomos para o aquecimento. Ele na dúvida se iria conseguir fazer a prova, uma vez que anda a "trabalhos" com uma dôr na zona do gêmeo que não lhe passa de maneira nenhuma.
Após analisar o trajecto via google earth durante a semana, verifiquei de imediato que tinha de modificar a minha estratégia de treino. Ter de contrariar o que normalmente treino. Começar mais lento, para terminar mais forte. Mas parece que esta mudança de táctica está a começar a dar frutos, e começo a habituar-me a isto.
Pelo que não sei como iria reagir. Se de facto estivesse solto, sem qualquer dôr, e se a dada altura verificasse que poderia melhorar o meu tempo aos 15kms, lógicamente que não iria desperdiçar.
Hora da partida.
Após cerca de 500mts o meu companheiro achou por bem parar logo com a prova, pois o músculo estava a dar sinais fortes. E quando é assim, não se pode arriscar.
Passados 2kms, tive a companhia de um colega de equipa, o Rui Lacerda, que lá foi puxando por mim até ao Saldanha. Sempre num ritmo bem abaixo dos 4min/km (abençoadas séries de 1000mts), 3:43, 3:50; 3:36 e por aí, mas a dada altura dei-lhe sinal para seguir pois esse era um ritmo muito forte para mim. Mas o engraçado é que apenas mantive 50mts de distância práticamente quase durante toda a prova. Foi sempre uma fonte de referência este meu camarada.
Sabia que ao chegar ao rossio tudo o que tinha de conquistar estava conquistado, quando à passagem dos 10kms verifiquei que a minha média estava óptima para bater o meu tempo de 8 dias atrás, desta feita ia com 39min. Não podia deixar de aproveitar esta oportunidade. Seria "um crime".
E eis que estamos na subida longaaaa da almirante reis, pelo que tive de abrandar um pouco. E aí começou a média lógicamente a baixar.
A subida fez-se relativamente bem, apesar de ir já desgastado, pela parte inicial da prova, e foi a 2.5kms da meta, que o meu tendão de aquiles+gémeo esquerdo ameaçaram dar-me cabo da prova. Ainda tive de coxear durante 100mts, e ver que estaria tudo estragado se não abrandasse. Fui obrigado a isso, passando para a casa dos 4:17min/km, se queria terminar. A cada passada estava à espera do músculo ficar preso, mas felizmente soube reconhecer o problema, e tratar dele na hora. A cada ligeira inclinação era um martírio, aproveitando depois as ligeiras descidas em que acelarava um pouco pois não me doia a descer. E foi assim que foi feita a entrada no estádio 1º de Maio, tendo ainda de percorrermos cerca de 300mts na pista de tartan para cortar a meta.
Fiquei extremamente feliz pelo meu tempo, com 1min a menos em relação à 8 dias atrás.
Tempo final: 1h:00:32s, com 23º lugar no escalão, e 87º lugar nos masculinos, num total de quase 900 atletas.
Não fosse o tendão e o músculo ter obrigado a baixar de ritmo, teria com toda a certeza baixado da 1h, entrando na casa dos 59min. Mas quem sabe isso não fica para outra altura?
.
Agora, é hora de recuperar os gémeos, os tendões para a meia maratona de Setubal já na próxima semana.
O que estiver está. Não irei fazer mais treino nenhum específico até lá,excepto para a semana, fazer um treino curto de ritmo, só para ajudar às pernas.
Está na hora de recuperar.

2 comments:

Carlos Lopes said...

Boas Nuno

Obg pela visita, aproveito pra colocar este blog no meu. realmente parei na tal subida, andei um pouco e passou alguém que me colei e deixei-me ir. Nem foi mal o tempo que fiz, parabéns pelo teu.. um abraço e boas corridas

Nuno said...

Amigo Carlos,
seja como fôr, apesar dos problemas que tiveste, fizeste uma grande prova, com um tempo muito bom.
Quero agradecer-te também, porque de uma forma insconciente, foste fazendo de lebre para mim. E como bem sabes, durante uma prova, temos de nos guiar por alguem. Tu e o meu amigo Lacerda, foram essas 2 pesssoas.

abraços
Nuno