Friday, October 10, 2008

Companheiros de treino ou amigos?

A razão deste post deve-se com um comentário que recebi relativo à companhia que temos enquanto treinamos.
Fez agora no mês de Agosto 3 anos que comecei com a prática da corrida.
Na altura poucos, ou melhor, muito poucos circulavam ali pelo estádio. Lembro-me de na altura, existir 1 ou 2, mais ou menos com o mesmo andamento que eu. E apesar de não ter como meta fazer qualquer prova, o certo era que de vez em quando lá me comparava interiormente ao andamento deste ou daquele.
Um deles, era o Aristides. Que só 1 ano depois viriamos a manter diálogo. 
E por ali nos mantivemos a correr devagarinho, bem devagarinho.
Sinceramente não me lembro como iniciámos o dialogo, mas o certo foi que começámos por treinar de vez em quando juntos. 
O resultado foi, termos combinado fazermos uma prova juntos. Na altura, a minha primeira, e se por acaso hoje tenho o espirito competitivo para fazer provas, posso dar graças ao Aristides, pois foi ele quem me despertou a curiosidade. Seja como fôr, essa prova foi a São Silvestre da Amadora. A minha primeira prova.
Depois combinámos alguns treinos longos para juntos fazermos a nossa primeira meia maratona da Ponte 25 de Abril.
E começámos uma camaradagem a nível de treinos. Alguns treinos longos ao domingo etc.
Mais para a frente, mais em concreto, perto do Verão de 2007, apareceu por lá um individuo que reparámos que tinha estilo a correr. Não corria rápido era uma verdade, mas estilo tinha ele. Mas meus amigos, não corria rápido nessa altura......
Seja como fôr mais cedo ou mais tarde, acabámos por meter conversa. 
Viemos então a saber, que este individuo, de nome Proença, tinha sido nada mais nada menos que um grande atleta no atletismo do Sporting . Não haveria ele de ter estilo a correr.
E fomos aos poucos e poucos nos encontrando diáriamente, sempre no mesmo local.
Aos poucos e poucos, foi mantendo o seu plano de treino na regularidade, e aos poucos e poucos começou a vir ao de cima, a alma de atleta que lhe ficou de quando andava na frente.
Nós os 3, o Aristides, o Proença e eu, fomos criando um grupo de companheirismo a nível de treinos. Ajudando-nos mutuamente, seja nos treinos seja mesmo em provas. E de facto, essa ajuda mútua, tem feito de nós, uns melhores atletas sem qualquer dúvida.
Assim, se passou um ano com o Proença, e cerca de 2 com o Aristides. 
O nosso companheirismo de treino passou para fora da pista, para fora da estrada.
Encontramo-nos para jantares, para comemorar provas, etc.
As nossas esposas, (algumas dela praticam também a corrida) encontram-se também nesses jantares, pelo que não são jantares só de "homens da corrida".
Enfim, nem tudo se resume à corrida entre nós.
As conversas, a boa disposição, a ajuda, mesmo que silenciosa da presença de cada um de nós, por vezes é o suficiente para nos levantar a moral depois de um dia mais dificil.
Assim, e para finalizar esta longa mensagem, posso dizer que não treino com atletas nem com companheiros de corrida. Treino sim, com amigos. Que sei que estão lá se precisar deles.
A ti, Aristides, sabes que te admiro bastante pela tua capacidade de sofrimento, pela tua força interior para passares pela transformação que passaste, e não desistires. 
E a ti Proença, sabes que te admiro pelo atleta que foste, e que continuas a ser. És as minha referência como sabes. És aquele que me têm ensinado a sofrer, a fazer provas.
Mas acima de tudo, admiro-vos a ambos por aquilo que são na essência fora da corrida. Admiro-vos como pessoas.
Pela minha parte, sabem que sempre que precisarem, estou cá para vos poder ajudar no que puder.

um grande abraço aos meus amigos que treinam comigo

Nuno

2 comments:

Aris said...

Amigo faço minhas as tuas palavras.Nada mais a acrescentar.Já dissestes tudo o que havia para dizer e sabes que o sentimento é mutuo.Um abraço.Há e a 1ª vez que conversámos foi num dia que a Célia foi treinar comigo e estivémos os três a fazer alongamentos ao lado da bancada

Corredor said...

Amigo,
ainda bem que te lembras em concreto dessa altura. Não me lembrava mesmo.

grande abraço
Nuno