Sunday, May 10, 2009

Meia Maratona de Setubal 2009

e foi à 3ª vez que a meia maratona de Setúbal não me quebrou.
Manhâ chuvosa no caminho para Setubal, mas que ao chegar lá apenas estava bastante embrulhado.
Ia curioso e apreensivo por mil e uma razões.
Assim, fiz um bom aquecimento, principalmente às canelas, porque era algo que me estava a inquietar o espirito dado os problemas das últimas semanas.
Ambiente fantástico como sempre em Setúbal na linha da partida.
Desde o tiro de largada, que resolvi impôr um ritmo calmo à volta dos 4:20min/km e ver como iria me desenvolvendo com o decorrer da prova. Tendo sempre em mente o passado, o objectivo era mesmo não sofrer como das últimas vezes.
Entre o quilómetro 2 e 5 senti a canela sempre algo tensa, mas que por sorte foi desaparecendo. As pernas estavam pesadas e presas. Vi nesta altura alguns dos meus "adversários" que já por várias vezes me tenho defrontado, incluindo um companheiro que por vezes aparece lá no Monte da Galega às vezes também a treinar. Só que ele ia mais rápido do que eu, e mesmo assim fui sempre com 100mts de atraso em relação a ele.
Pensei mesmo que hoje não era o meu dia. Mas mesmo assim fui sempre me mantendo nos 4:20min/km.
O percurso deste ano foi bastante alterado que na minha opinião ter sido mais difícil, tornou-se menos monótono, pois só saímos de Setubal quando já tinhamos 9kms.
Só por volta do quilómetro 7 é que senti as pernas soltas.
Resolvi então passar no quilómetro 8 já na casa dos 4:06-4:10min/km.
Passando no quilómetro 9 com média de 4:02min/km. Estava a ser rápido demais para o que eu pretendia. Hoje não era dia para sofrer. Apenas para fazer sair o que teria de sair e mais nada. Não me estava no espírito fazer grandes sacrifícios.
Quando saímos de Setubal, e já por volta do quilometro 11, achei que estava demasiado solto e com vontade para me colocar nos 4:00min/km. E desde esta altura que mais ninguem me ultrapassou. Mas o passado é muito forte, e veio-me à mente que teria de guardar forças para a volta. Ainda faltava muito para correr, e a média estava estragada, pelo que de nada me adiantaria me colocar nos 4:00min/km e desgastar em demasia.
O vento fazia-se sentir naquela longa estrada que este ano ficou mais curtinha, só que felizmente o vento era em sentido diagonal e não completamente de frente.
Aos 15kms, consegui colocar-me junto deste tal companheiro que eu desconheço o nome , e fiz-lhe sinal para irmos juntos, pois estávamos com o ritmo bastante parecido.
No trajecto já de volta, achei que estava a sentir-me bem, apesar de ir sempre com uma média de 4:14min/km, a qual, apesar de vir já com vários quilómetros a 4:08-4:10min/km, não estava a conseguir baixar.
Aos 17kms, pensei comigo, "desta vez não me vais quebrar. Já estou no quilómetro 17 e não estou esgotado. Desta vez, venci-te".
O companheiro veio comigo até ao 18º quilómetro sendo que aí, fiz-lhe sinal para vir, pois ia apertar um pouco o ritmo, e lá fui para os 4:06min/km. Estava na hora de forçar um pouco mais o corpo e iria ser sempre até ao fim. O companheiro ficou para trás, e fui sempre a passar outros atletas até ao final.
Terminei cansado, mas bem.
Estava cumprido o meu objectivo para esta meia maratona.
E finalmente, a meia de Setúbal não me fez sofrer.
Notei, e em conversa com outros atletas, as marcações estavam completamente erradas, com uma margem enormeeee de 520mts aprox. É muito.
Terminei com um tempo de relogio de 1:30:50, sendo que pelo relógio dava na distância certa de prova (21,095kms), 1h28:30seg. Seja como fôr, o objectivo não era o tempo, mas sim vencer esta prova.
Agora é recuperar os músculos e esperar pelos danos colaterais, canelas,músculos, etc, que irão com toda a certeza aparecer.
Conclusão:
consegui aplicar a táctica na perfeição para o objectivo. Consegui aplicar a sabedoria que tenho vindo a guardar destas coisas da corrida, esticar onde devia, conhecer e esperar pela resposta do corpo, estar atento a qualquer sinal de fraqueza, e saber fazer uma correcta alimentação e hidratação antes da prova.
E faz-me mais falta treinos de velocidade. Treinos de velocidade juntamente com endurance. Faz-me falta os treinos de ritmo e as séries de 1000mts.
Parece que não, mas a minha última meia maratona foi efectivamente a de Setubal em 2008! Não contando com os 20kms Cascais como é óbvio.
Estou contente, porque venci mais esta batalha fisíca e mental, e porque não estou tão mal quanto pensava.

3 comments:

André Gomes said...

Boa Nuno fiquei-me pela 1h40 com uma dor enorme no tendão de aquiles por volta dos 18 kms que me tirou a força toda é a vida...

Parabéns mais uma vez boa prova!!!

Abç

Agomes

Carlos Lopes said...

Parabéns por mais esta prova

Eu, Corredor said...

Amigo André.
o ano passado sofri bastante nos últimos 2kms com uma caibra no gémeo direito e que me obrigado a fazer o último quilómetro com os dedos do pé completamente enroscados. Sei bem do que fala.
Setúbal têm destas coisas.
.
Obrigado a ambos pela força que me deram.

grande abraço
Nuno